UNESP Semana de Eng. 2011

Prepare-se para um dos eventos estudantis mais interessantes do ano.

De 22 a 26 de agosto, a UNESP de Bauru estará promovendo a Semana de Engenharia 2011 na universidade.

A semana de engenharia da Unesp acontece todo ano no mês de agosto e busca trazer aos alunos e interessados pelo assunto, conhecimento e novidades de diversas áreas das engenharias.

Todo ano o evento tem um tema específico e para 2011 é “Copa do Mundo 2014: as jogadas da Engenharia”. Nada mais propício para uma época em que tanto se fala em novas construções e tecnologias que visem a adequar o Brasil ao evento mundial organizado pela FIFA.

Muitos dos alunos que assistirão às palestras estarão no mercado de trabalho em breve e poderão participar das construções dos estádios e equipamentos que formarão o conjunto tecnológico que receberá o mundo em 2014 no Brasil.

Além das palestras promovidas por engenheiros das maiores empresas instaladas no Brasil, também terão mini-cursos de softwares constantemente aplicados à engenharia.

Empresas como Petrobras, Siemens, Camargo Correa, Bosh, Panasonic, Philips, Embraer, Ambev, entre outras, estarão presentes no evento repassando informações sobre novas tecnologias, dicas sobre a profissão e programas de estágio e trainee.

Para saber a programação completa, acesse o site www.semeng.feb.unesp.br

As inscrições para o evento vão de 04 a 16 de Agosto.

Abaixo você pode conferir um vídeo criado pela organização do evento, para divulgação.


Conheça o IINN-ELS

[photopress:miguel_nicolelis.jpeg,full,centered]

Hoje no canal Futura, Serginho Groisman, em seu programa “Ação”, entrevistou um dos 20 maiores cientistas do mundo, o médico Miguel Nicolelis, presidente da Associação Alberto Santos Dumont de Apoio à Pesquisa.

[photopress:logo_associacao.gif,full,centered]

Nicolelis partiu da idéia de necessidade da divulgação científica para os jovens e alcançou um dos maiores saltos em sua carreira. Em Natal/RN, o professor é o Diretor Científico do Instituto Internacional de Neurociências de Natal Edmond e Lily Safra (IINN-ELS).

A principal missão do Instituto Internacional de Neurociências de Natal Edmond e Lily Safra (IINN-ELS) é promover a realização e o crescimento da pesquisa científica de ponta que pode contribuir para o desenvolvimento educacional, social e econômico do Rio Grande do Norte e de toda região nordeste do Brasil. Por isso, todos os programas de pesquisa desenvolvidos no IINN-ELS estão vinculados em iniciativas sociais e educacionais que visam a assistir à população das cidades de Natal, Macaíba e circunvizinhanças. Esses programas concentram-se principalmente no desenvolvimento e na educação da criança, e na atenção primária a saúde da mulher.[photopress:iinn.jpg,full,alignright]

A instituição busca incentivar crianças a buscarem conhecimento científico através do contato direto e prático com os conceitos da matemática, física, química, entre outros.

Nicoleti, durante a entrevista, citou que é um orgulho ter como respostas das crianças à pergunta “o que você vai ser quando crescer?” as palavras “arqueólogo, engenheiro, médico, inventor…” Antes as respostas eram as clássicas “jogador de futebol, artista da Globo…” Hoje o contato direto com a Ciência fizeram as crianças expandirem sua visão.

Como integrante de uma rede internacional de grandes instituições científicas patrocinadas pela “International Neuroscience Network Foundation”, o Instituto Internacional de Neurociências de Natal Edmond e Lily Safra recebe regularmente pesquisadores do mundo inteiro interessados em participar dos programas de doutorado e pós-doutorado, sabáticos e cursos internacionais ministrados por neurocientistas de grande prestígio internacional.

São projetos como esse que fazem a Ciência no Brasil ser desenvolvida e colher frutos daqui uns 15 anos, quando essas crianças começarem a trabalhar diretamente com o desenvolvimento de tecnologia, algo que no Brasil ainda hoje é tão retardatário ou mesmo atrofiado. Parabéns ao professor e a todos os integrantes desse projeto. Saibam que se precisarem de apoio, o CienTecno estará aqui, mesmo sendo um pequeno meio de difusão científica.

Psicologia e Tecnologia: CIÊNCIAS NECESSÁRIAS

Quando se pensa em tecnologia ou gestão de projetos, logo o comum é imaginar engenhocas futuristas e cientistas loucos. Mas a realidade se encontra um tanto quanto longe dessas imaginações fictícias.

A tecnologia vem alcançando, há anos, grande espaço no cenário mundial das empresas de qualquer área. Da mais campestre à mais extraordinariamente digital, as compahias tem se preocupado com equipes de inovação tecnológica, e é nesse contexto que uma ciência menos exata se encaixa: a Psicologia.

É fácil encontrar, nos dias atuais, profissionais se especializando no estudo de comportamentos humanos entre funcionários de empresas e desenvolvedores de projetos. Esse novo quadro tem aberto as portas para curiosidades quanto à liderança e gerenciamento de grupos de projeto.

Uma das áreas estudadas pela psicologia é a relação entre Inteligência e Criatividade. Duas qualidades de grande importância na hora de projetar uma inovação em uma empresa, visto que para isso é necessário o envolvimento de vários profissionais.

– Inteligência: é um potencial inato de uma pessoa, para fazer julgamentos adequados, aproveitar experiências ou para encontrar a maneira adequada de enfrentar os novos problemas ou novas condições de vida. [1]

– Criatividade: é a expressão de um potencial humano de realização, que se manifesta através das atividades humanas e gera produtos na ocorrência de seu processo. [2] Essa expressão capacita a qualidade de produção de um indivíduo.

Indivíduos criativos não são necessariamente inteligentes. A inteligência potencia um indivíduo a realizar ações que o favoreçam ou que sejam capazes de resolver um problema e transformá-lo favorável na dinâmica de desenvolvimento. Já a criatividade disponibiliza um favorecimento direto de forma menos formal. Ou seja, a criatividade aproveita a capacidade de um indivíduo para gerar produções de sucesso, transformando o lixo em luxo.

Um dos maiores exemplos de mentes inteligente e criativas está entre os legendários Steve Jobs, presidente da Apple© e Bill Gates, co-fundador da Microsoft©.

Por anos Jobs e Gates se viram entre competições muito acirradas. Sem se conhecerem passaram a querer desenvolver estruturas computacionais parecidas que na época ainda não existiam.

Nesse contexto, Gates com alguns amigos, em Harvard, resolveram querer entrar na “revolução”, como eles chamavam, e assim resolveram desenvolver um sistema operacional para o computador criado por uma empresa de informática da época.

Do outro lado estava Jobs, em sua garagem com alguns amigos também, estava tentando desenvolver algumas engenhocas computacionais.

Segundo o filme “Piratas do Vale do Silício”, de 1999, Jobs tinha como rival principal a IBM©, e tentava conseguir idéias de outras empresas a partir da manipulação das grandes mentes da Xerox©.

Com o tempo, Steve e Bill se conheceram e decidiram tentar uma parceria entre a Apple© e a Microsoft©. Mas Bill desenvolveu algumas tecnologias parecidas com a da Apple© e assim os dois tiveram conflitos que separaram as empresas definitivamente. Porém, mais tarde, um precisou do outro e Gates pôde então ver a frase que tanto dizia na prática “tente manter seus amigos próximos e seus inimigos mais próximos ainda”.

Steve Jobs é o personagem inteligente e Bill Gates o criativo.

Steve era capaz de julgar e aproveitar oportunidades para transformar os seus problemas em vantagens. Com isso ele conseguiu tirar grandes idéias de seus principais rivais tecnológicos e desenvolver uma grande empresa. Porém se fixou em detalhes que bloquearam alguns avanços, deixando a Apple© atrás da Microsoft©.

Gates conseguiu produzir idéias que revolucionaram a informática. Ele aproveitou conceitos desenvolvidos que se encontravam de forma “congelada” e aqueceu o seu desenvolvimento, criando produtos que até hoje são utilizados no mundo inteiro. Qualificou o processo e conseguiu se tornar o homem mais rico do mundo, durante um tempo.

Esse exemplo apenas serve para comprovar a necessidade do casamento entre inteligência e criatividade. Assim pode-se alcançar muito mais facilmente um objetivo em comum, ou seja, o sucesso. Uma empresa que visa buscar essa idéia, principalmente se for da área de projetos, com certeza alcançará reconhecimentos futuros.

[1]Liderança nas organizações, p. 18, Universidade Presbiteriana Mackenzie, SP.
[2]SAKAMOTO, C. K., Criatividade: uma visão integradora, Psicologia: teoria e prática, Universidade Presbiteriana Mackenzie, 2000, SP.

Fórum de extensão: SUCESSO

Há alguns dias atrás postei algumas informações sobre o Fórum de Extensão Universitária do Câmpus de Bauru (UNESP). Dessa vez venho, por meio deste, comentar o sucesso atingido pelo evento.

Durante os dias 26 e 27 de abril, a Unesp de Bauru, formada pelas Faculdades de Engenharia (FEB), Ciências (FC) e Artes, Arquitetura e Comunicação (FAAC) com o apoio da empresa Jr. RP JR e da Fundação para o Desenvolvimento de Bauru (FunDeB), Fundunesp e Proex, apresentou o FÓRUM DE EXTENSÃO.

No evento estavam presentes grandes mentes das principais universidades do país, que discutiram métodos, procedimentos, condições atuais, qualidade e aplicação da Extensão, bem como sua importância para a sociedade e para os alunos universitários.

Grandes projetos foram apresentados no evento, sobre as mais diversas áreas do conhecimento. Eu mesmo apresentei sobre meu projeto de extensão, “Difusão da tecnologia CAD e CNC como ferramenta básica de criação e produção em pequena escala, acessível à comunidade”. Além desse projeto, outros foram de destaque, tais como o Projeto de Aerodesign desenvolvido no câmpus, apresentado por um amigo, Marco Aurélio Matunaga. Também estiveram presentes projetos sobre energia renovável, oficinas de robôs, e reaproveitamento de resíduos sólidos no câmpus. Este último foi um dos premiados por seu conteúdo, apresentado por outro amigo, Murilo Borges Campos Tonhati.

A qualidade do evento foi de se destacar, onde pudemos ver, durante as apresentações, a qualidade e a grande quantidade de projetos que são desenvolvidos em nosso câmpus, porém que muitas vezes nem sabemos, pois acabam por se apagar em mídias internas, isso quando são divulgados. Esse ponto foi um dos discutidos na finalização do evento. Foi sugerido por alguns participantes a maior divulgação do evento nas mídias regionais, para que se possa alcançar maior público possível da sociedade não só acadêmica.

Os vice-diretores das três faculdades da Unesp de Bauru (FEB, FAAC, FC), estiveram presentes na cerimônia final, onde puderam ouvir sugestões, como a citada anterior, e também agradecer a participação de todos. Eles discutiram a possibilidade de se desenvolver alguma mídia interna, ou externa, específica sobre projetos de extensão universitária, visto que o número de inscritos no evento foi muito mais do que o esperado, sugerindo então um maior foco educacional e informativo.

Ciência e Teatro

“ARTE E CIÊNCIA NO PALCO” faz uso da cultura teatral para expandir o conhecimento científico para a sociedade.

www.arteciencianopalco.com.br

O Projeto cênico de espetáculos científicos, do Núcleo Arte e Ciência no Palco, dirigido a educadores e estudantes dos ensinos fundamental, médio e superior e ao público em geral. O site apresenta repertórios como E agora Sr. Feynman?, after Darwin, Da Vinci pintando o Sete, entre outras. Destaque para Einstein e Copenhagen.

[photopress:foto_equipenapuc_menor.gif,full,centered]

O projeto foi pioneiro no Brasil
Foi criado em 1998 por Carlos Palma e Adriana Carui e com a chegada de novos integrantes, em 2001 se consolidou junto a Cooperativa Paulista de Teatro. O núcleo Arte Ciência no Palco ou ACP para os mais próximos dedica-se ao fazer teatral pensando no homem e na sociedade com a lente da ciência.
Investigar a relação da arte e da ciência é nosso objetivo.

Através do teatro, com sua imensa capacidade de envolver, emocionar e provocar, procuramos apresentar pelo “sentir” e pelo “pensar” os conflitos éticos da ciência.

Além de entreter, despertar o público para as responsabilidades e conseqüências dos avanços da ciência pode ser uma consequência muito produtiva. “A evolução tecnológica é de todos nós. Seus resultados fazem parte de nosso dia-a-dia.

Compreender seus princípios é fundamental para uma perfeita harmonia entre o indivíduo e a imensidão do universo”.


A idéia surgiu de “Einstein” (estreou em 1998 no Brasil)
que assistimos no Chile em 1995. A peça nos despertou
não só para a beleza conceitual que acompanha cada descoberta, mas para a possibilidade de investigar as angústias e os aflitivos dramas dos que pensam e praticam a ciência.
Quando repetidamente dizemos que a ciência não é só dos cientistas é para lembrar das nossas responsabilidades diante dos rumos que o conhecimento científico pode gerar em nossa civilização.


No seu repertório 12 espetáculos em 10 anos de atuação.
Reconhecido pelo público e pela crítica tem no histórico de seus espetáculos a participação no “Funarte Cidades”, o Mês Teatral da Prefeitura de São Paulo, o Prêmio Mambembe melhor ator, Prêmio Qualidade Brasil melhor espetáculo e indicação a melhor ator, três indicações em 2001 ao Prêmio Shell de melhor diretor, melhor iluminação e melhor cenário, por duas vezes recebeu o Prêmio Estímulo Flávio Rangel do Governo de São Paulo, contemplado com o Programa Municipal de Fomento ao Teatro para a Cidade de São Paulo e três indicações para o Prêmio Coca-Cola/Femsa em 2007.

“O teatro possibilita pensar a ciência e o ser humano e construir uma dimensão nova na percepcão do mundo”

ABAIXO, UM TRECHO DE UMA DAS PEÇAS:

VEJA OS VÍDEOS DAS APRESENTAÇÕES, NO CANAL DO YOUTUBE:

http://www.youtube.com/nucleoacp